primícias poéticas: herdeiros da terra e do fogo

primícias poéticas


domingo, outubro 18, 2009

herdeiros da terra e do fogo

Hoje meu querido e saudoso pai completaria 56 anos. Em memória dele, publico um seu poema que nesta semana me veio várias vezes ao pensamento: herdeiros da terra e do fogo, de seu último livro. Sem dúvida, um dos papéis que a Poesia tem representado em minha vida é o de manter sempre viva e renovada a minha antiga relação de amizade com meu pai. Os sonhos, quando verdadeiros, não envelhecem, não morrem, vivem mesmo independentemente de nós, alcançam outros corações. E meu velho se faz presente pelos seus ideais de amor e de esperança que transmitiu. Pretendo dar continuidade ao trabalho que ele começou na década de 70. Que a Poesia nos una além do tempo e do espaço e que sobreviva ao rancor do mundo.

herdeiros da terra e do fogo

não nos calam,
nem a mim,

nem aos nossos
herdeiros da terra e do fogo.

a esperança não se esvai
como um mero grito,
nem com baionetas perfiladas.

pátria antiga e de bocas atadas,
permita-nos ressurgir de suas veias feridas,
com a ternura e a humildade de quem ama.

da lapela de octavio roggiero neto às 7:35 AM

3 Comentários
Blogger Dauri Batisti disse:

Eu gostaria de aplaudir esta tua devoção à poesia e ao teu pai. Coisa bonita de se ver.


Um abraço.

8:47 AM  
Blogger Juliana de Araujo disse:

A poesia está no seu gene! É ela que faz viver seu pai, não só na lembrança gostosa da infância, mas também na palavra viva e vivificante que dá alento ao coração dorido. Aprecio sua admiração, amor e devoção pelo pai e pela poesia; é Deus quem as mantêm vivas não só no coração, mas na alma, na inquietude do dia a dia. Deus o abençoe! Abraço da Ju

5:58 PM  
Blogger Múcio L Góes disse:

é, irmão, a poesia continua, e principalmente a de ótima qualidade, para alegria de olhos e corações!

=]

sdds, abraço.

10:13 PM  

Postar um comentário

<< Home