primícias poéticas: Novembro 2008

primícias poéticas


domingo, novembro 30, 2008

pendulação

é nas horas de sossego
que percebo a vida, enfim;
noutras – demoras... – sou cego,
apalpando o escuro em mim.

da lapela de octavio roggiero neto às 6:03 PM | 1 poetas-leitores


sábado, novembro 29, 2008

presa fácil

me armadilha tua nuca:
sou presa de tua essência,
deste cangote-arapuca,
sem nenhuma resistência...

da lapela de octavio roggiero neto às 8:47 AM | 1 poetas-leitores


sexta-feira, novembro 28, 2008

enquanto é dia

passaremos. sim, passaremos.
e quão inexorável é o passamento, e veloz.
passaremos, então que nos amemos
enquanto é dia:
- calma, muita calma, não olhe agora,
mas a noite, a irreversível, nos espia.

pela multidão, pelo pedinte,
pela infância, pelas estações e pela vida,
estamos sempre de passagem
e de partida.

passaremos o ponto, a bola, a vez,
num passe-de-mágica, passaremos
de campeão a freguês.

pela passarada bem-humorada
que celebra o fim da madrugada,
passaremos, sem darmos conta, talvez,
mas passaremos.

e se assim é, então que nos amemos
enquanto é dia:
- calma, muita calma, não olhe agora,
mas a noite, a irreversível, nos espia.

dispersa-me para o mais distante, um vento:
o mais distante pensamento.

silêncio falante sussurrando no ouvido,
a íntima voz do desconhecido
segredando em boa hora:

sim, passaremos, então que nos amemos
enquanto é dia:
- calma, muita calma, não olhe agora,
mas a noite, a irreversível, nos espia.


- premiado com o 1º lugar do Concurso “V Prêmio Barueri de Literatura” - 2008

da lapela de octavio roggiero neto às 12:10 AM | 7 poetas-leitores


quinta-feira, novembro 27, 2008

facilite o amor

facilite o amor!
dê bom-dia pro cavalo,
pro vizinho e pro Senhor.
pra namorada, carinho.
pra mamãe dê uma flor.
faça jóia pro menino
que te olha da vidraça
e pro dia tão sem graça,
facilite o amor.
no ônibus lotado,
ofereça o assento.
pro espelho desanimado,
um sorriso de alento.
praquele velho amigo,
dê um telefonema.
pra tudo nesta vida,
escreva um poema.
seja todo ternura,
mantenha a postura ereta,
capricha no penteado,
use hoje sua roupa predileta.
facilite o amor,
que assim a ocasião
que faria o malfeitor
agora revelará o amante,
o filho, o amigo e o poeta.


- premiado com o 2º lugar do Concurso “V Prêmio Barueri de Literatura” - 2008
- publicado no Jornal Tribuna do Direito, ano 16, nº 188, edição de dezembro de 2008, pág. 29 – 35.000 exemplares.

da lapela de octavio roggiero neto às 12:05 AM | 29 poetas-leitores


sexta-feira, novembro 14, 2008

a sete chaves

chamem-me conservador,
que respondo com desdém:
- sim, guardo comigo o amor
de uma mulher, não de cem!

da lapela de octavio roggiero neto às 4:56 PM | 1 poetas-leitores


segunda-feira, novembro 10, 2008

amaré

como quem põe ao ouvido
uma concha, escuta o mar,
no teu peito ouço entretido
o próprio amor a pulsar.

da lapela de octavio roggiero neto às 3:54 PM | 2 poetas-leitores


sexta-feira, novembro 07, 2008

chama da paixão

ela me chama pra cama,
ela me ama sem frescura;
pego fogo, se ela chama:
máxima temperatura!

da lapela de octavio roggiero neto às 10:11 PM | 1 poetas-leitores