primícias poéticas: Abril 2006

primícias poéticas


sexta-feira, abril 14, 2006

Heliodora

bem de manhãzinha
ao abrir das janelas, o dia se inaugura
com a falação da passarinhada

inda orvalhada de sonhos
a sonolência espreguiça que espreguiça gostoso

a brisa desgrenha o capinzal num cafuné
e o cheiro de mato enche o peito de bucolismo

(sobre este peitoril
poderia pensar versos os mais bonitos)

respirar a tua tranqüilidade
traz de volta uma paz humilde,
paz sincera

paisagem de desenhos pueris,
daqueles feitos com capricho
pelas mãozinhas ingênuas

talvez sejas uma das últimas
reminiscências do paraíso

pelos teus paralelepípedos
arrasto chinelos até a matriz:

"um tirim d'ispingarda..."

enternecido,
vejo graça na velhinha
e seu impetuoso sinal-da-cruz

com as mãos nas algibeiras sigo cantarolando
e contemplo o sol ameno
alourando o horizonte


sul de Minas Gerais, 2003

da lapela de octavio roggiero neto às 8:34 AM | 2 poetas-leitores