primícias poéticas: o Jardim

primícias poéticas


sexta-feira, dezembro 26, 2008

o Jardim

quero estar no Jardim,
onde um olhar de criança
num instante é percebido
no semblante mais franzido,
onde o verde é mais verde
que a esperança
e o dia não tem fim.

Jardim da nudez primeira,
sem folhas de figueira
que nos sirvam de tapume;
apenas o perfume colorido
da primavera em flor,
o som alegre das árvores
que cantam passarinhos
e a brisa que as acenam
pelos caminhos.

quero estar no Jardim,
correr ao encontro de Deus
ao ouvir os passos seus.

da lapela de octavio roggiero neto às 10:36 AM

6 Comentários
Blogger Dauri Batisti disse:

Heim, tu passas por uma fase religiosa ou o natal te inspira assim?

5:50 PM  
Blogger Dauri Batisti disse:

Obrigado Octávio por responder-me tão carinhosamente. Não vou negar que um tanto me surpreendeu o teu discurso.

Quero, todavia, expressar toda a minha consideração e respeito pelo caminho que estais a fazer.

Um abraço.

11:16 AM  
Blogger Miguel Barroso disse:

Gostei.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

2:10 PM  
Anonymous Beatriz Prestes disse:

Teus escritos vão por caminhos inéditos do sentir e olhar!
Versos magnéticos....amarram o olhar mesmo.
Tomei a liberdade de likar no meu blog.
reviveremversos.blogspot.com
Obrigada pelo momento show de leitura!
Um 2009 maravilhoso!
Bea

4:50 PM  
Blogger J.F. de Souza disse:

Cara... Nem sei o que dizer sobre tão belo escrito... Ele me desperta alguns sentimentos que não consigo explicar...
Talvez, eu até consiga... Mas prefiro não tentar...


Feliz 2009, caríssimo poetamigo! 1[]!

11:48 AM  
Blogger Retalhos de Amor disse:

Minha primeira vez aqui, mas certamente não a última!!! Passeei com teus versos, vi a paisagem, me senti nele!!! Parabéns por tão belo Poema!!! Beijo no teu coração!!! Iza

12:32 PM  

Postar um comentário

<< Home