primícias poéticas: meu irmão

primícias poéticas


quarta-feira, dezembro 07, 2005

meu irmão

meu irmão, o nosso caçula
tinha medo de noite
quando os gatos
ficavam namorando no telhado
ia correndo para o quarto da mãe:
- tem monstro ou tem gatinho?
- tem gatinho...

meu irmão, o caçula de todos
quando o agradeciam com um "obrigado, viu?"
ele respondia: "vi!"

aquém das lonas do portão
foi sempre o melhor presente
das festinhas suburbanas de aniversário

brrrrrrrr...
que miniatura que nada
os carrinhos eram supermáquinas possantes
cantando pneus pelas tardes sem fim

companheiro dos dias de sempre:
há lembranças dele em minha memória
e saudades minhas em seu peito

as barbas cresceram, de fato, mas nossa infância
é como uma marca de nascença

meu irmão, meu caçula...

da lapela de octavio roggiero neto às 12:45 PM

12 Comentários
Blogger Tahkren disse:

Que bela homenagem, gostei muito.

Opa, qto a tua idéia das tirinhas, tamos aí para o que der e vier.

Abrá!

9:57 PM  
Blogger Luzzsh disse:

Oi Octávio,

Lindo, um dos teus melhores, na minha reles opinião....infância boa é assim: aquela que fica no passado; mas não passa nunca, não?

Beijos, muitos deles...
(2007 adentrou: vamos dar andamento à sua idéia? por onde começar?...)

1:18 PM  
Blogger Múcio Góes disse:

Caro Octávio, bela homenagem! Sou caçula, e não tenho irmã poeta, posto que sou único homem rsrs. Feliz, seu caçula, feliz...

Qto ao meu poema, fique completamente à vontade, viu? (vi!) rs. Será um prz ouvi-lo, um dia, qq que seja esse dia. Daqui, torço que seja breve, ne?

Grande abraço, irmão!

1:33 PM  
Blogger Juliana Marchioretto disse:

ah, que lindo!
minha irmãzinha tb responde "vi"... hehehe

bjo

1:48 PM  
Blogger diovvani mendonça disse:

Belo, foto-poema Poeta!!! Esse seu irmão, acho, é o que seu pai, faz referência, na introdução do "Poema Anônimo..." não é? Ainda ontem eu o estava re-re-re-re-re-lendo. MontanhosoAbraçoDasMinas.

E.T.: ainda envio o que prometi.

6:24 PM  
Anonymous Anônimo disse:

Vem nos visitar!!

Abraços,
Draissar Castic.

www.malditasmulheres.blogspot.com

8:09 PM  
Anonymous Bera disse:

Sentir e escrever quase juntos.
A barba me trouxe o beijo arranhado do meu filho de 22.
Como dizia o Djavan: uma grande amizade é assim, dois homens apaixonados.
Parabéns Octávio (e caçula) por deixar transbordar pra nós esse afeto.
Abraço

10:04 PM  
Blogger ALF O Extasiado disse:

Belíssimo sentimento exposto tão verdadeiramente nesss linhas poéticas.

Admirável.

abração
:)

11:18 AM  
Blogger Leandro Jardim disse:

o melhor jeito de irmos
é de mãos e braços dados
com os irmãos

bonita homenagem

abraço
Jardineiro
obs: tem novidade "importantíssima" no meu blog...hehehe

5:40 PM  
Blogger daniel batista de siqueira disse:

Bonito. Mas devo confessar que não vejo porque versificar, composto assim tem mais cara de prosa mesmo.

10:43 PM  
Anonymous Marcelo disse:

Poeta número 1 de todos os estilos e tempos, fez da nossa infância um poema emocionante. O caçula que aqui escreve será eternamente agradecido pelas sinceras palavras de afeto que ficarão imortalizadas nos anais da poesia brasileira.
Beijo!

4:07 PM  
Anonymous Anônimo disse:

Belas imagens e construção elegíacas... eu sou suspeito em falar: adoro esse tipo de lírica.


Abraço, poeta!!

REMO.

6:54 PM  

Postar um comentário

<< Home