primícias poéticas: Musa,

primícias poéticas


sábado, julho 07, 2007

Musa,

de noite, bem de noite, observo teus silêncios

qualquer coisa que mereça um verso
se esquiva de minha vista cansada, agora

as horas arrastam o tempo para o vago
enquanto a acompanho com todo o meu ser
namorando as silhuetas desta insinuante solidão

tenho uma caneta singela
que me borra sempre a mão de indelével desassossego

aprendi contigo as palavras difíceis
e as sensações dissonantes

eu não conhecia o indizível
até que tua aparição me cegasse do irreversível espanto
do fascínio mais sublime e terrível que poderia

mas não adianta, porque o que amo em ti
é o que não se disse
o que não se revelou
e o que talvez nem seja

aprendi, sobretudo,

depois que me lancei aos precipícios de teus olhos
que a Poesia prescinde de palavras

de noite, bem de noite, observo teus silêncios

meu corpo exausto adormece
em meio aos despojos de tua ausência
largado às taças vazias e aos sonhos desacorçoados

sem menos nem mais, nada mais...



- declamado pelo locutor português Luís Gaspar, no programa Lugar aos Outros 73 de seu audioblog Estúdio Raposa.

da lapela de octavio roggiero neto às 3:57 AM

10 Comentários
Blogger Bera disse:

pelas janelas do poema
todo ele a celebrar o culto
do amor que poderia ser tema
até quando inexiste, simples vulto.

Tô por aqui Octávio, seu toc toc tocou suave e acabei falando enquanto dormia

Abração

7:12 PM  
Blogger débora fernanda corrêa disse:

comentários imprescindíveis, mas...
prescinde de palavras.
euqteorestoqc

9:05 PM  
Blogger Pedro Pan disse:

, o amor se faz presente até em ausências. e sabe ensinar e aprender...
, abraços meus.

7:34 PM  
Blogger Lidiane disse:

Octávio.
Às vezes, a solidão é a nossa melhor amiga.
Ou o nosso pior algoz.

Beijo.

10:12 PM  
Anonymous Valeria disse:

eu vivia te vendo por si nesse universo dos blogs, mas nao me lembro de ja ter vindo aqui nem de ter te visto no meu blog... hj um comentario teu no diovanni me chamou muito a atençao pela sabedoria... ai vim, li, estou... ficarei...
um beijo

3:04 PM  
Blogger clarice ge disse:

Este poema deveria ter o poder de fazer presente a musa. Mas como foi dito, as vezes o que se ama "e o que nao se disse, o que nao se revelou e o que talvez nem seja" (adorei este trecho). Talvez porque o coracao de quem ama e o verdadeiro criador da figura amada...
Octavio, cresce a beleza de tua poesia por aqui, nos comentarios que fazes por ai e que vai seguir dando frutos la na "Arvore".
Beijo meu

PS: os acentos estavam malucos por isso retirei-os.

12:46 AM  
Blogger diovvani mendonça disse:

Que esse seu desassossego poeta, se revele mesmo; em dissonante e bela harmonia, para vestir a letra duma cançao (que vejo nascer agora)dedicada à sua musa.

AbraçoDasMinas

P.E.: Múcio já plantou Leminski lá no àrvore - acho que começamos bem.

5:17 PM  
Blogger Luzzsh disse:

Oi queridíssimo,

Amei. Assim, numa palavra única. Tocar-te deve ser algo como passar os olhos por esse teu poema. Vejo-te nas palavras.

Beijos...

9:36 PM  
Blogger Múcio Góes disse:

é... qd vc nao está, meu silêncio fala mais alto, qd vc falta, eu falto.

é...

abraço, irmão!

12:43 PM  
Blogger Remo Saraiva disse:

Putz!! Que poema de amor e exaltação à musa mais lindo, rapaz!! Admiro muito isso, porque isso não é muito da minha verve e me dá gosto ler quem se envereda por esta estrada com competência sem ser piegas e/ou clichê.

Abs,
REMO.

9:20 AM  

Postar um comentário

<< Home