primícias poéticas: madrugada, a nossa sina

primícias poéticas


quinta-feira, setembro 07, 2006

madrugada, a nossa sina

uma hora de la matina,
acordado sem porquê;
eis que a mão escreve - a sina -
essa trova que cê lê.

da lapela de octavio roggiero neto às 1:09 AM

2 Comentários
Blogger Keila Sgobi disse:

tua poesia
assina
tua sina




Sub-escrevo-me

9:18 PM  
Anonymous diovvani disse:

Sem novos poemas, leio os velhos, que ainda não lidos, também são novos. MontanhosoAbraço.

É mania minha.

10:30 AM  

Postar um comentário

<< Home