primícias poéticas: cá entre nós

primícias poéticas


sexta-feira, março 17, 2006

cá entre nós

pelas ruas infinitas,
caminhando solidões,
ouço vozes inauditas:
vozes cá dos meus botões.

da lapela de octavio roggiero neto às 3:50 PM

10 Comentários
Anonymous clarice disse:

ruas também terminam
em caminhos acompanhados
onde vozes desabotoam canções

carinhos poeta filho

2:08 AM  
Blogger Múcio Góes disse:

salvo engano,
no último verão
fluí outuno.


belo.

[]´s

3:16 PM  
Blogger Ellemos disse:

Ah... também ouço essas vozes...

Beijos!

10:04 PM  
Blogger Leandro Jardim disse:

Hehe, muito bom!!!

3:51 PM  
Blogger Clóvis disse:

Vozes-Inspira-Ações

12:36 PM  
Anonymous paulo vigu disse:

A imagem já vale uma canção, mas o caminhar solidão traz vozes daquelas esferas onde a alma é mais a imagem daquilo que somos. água e abraço - Riodaqui/Paulo Vigu

11:06 PM  
Blogger Luzzsh disse:

Oi Octávio,

...Ah, essas vozes às vezes me falam tanto que acabam atá calando ruas e caminhos....e inaudito fica o mundo....

Vc!....sempre me fazendo pensar, viajar....Beijos, querido poeta...

4:23 PM  
Blogger diovvani mendonça disse:

Carlitos, caminhando, solidões, numa estradinha e ainda por cima, umas palavras para fermentarem minhas idéias... Acaba, não, mundão!!! Acaba não...

AbraçoDasMinas

4:00 PM  
Blogger Keila Sgobi disse:

Quanto ao poema daki debaixo, não há o que dizer!

Faço esta visita porque sonhei com vc esta noite.

Eu o encontrava em alguma festa ou reunião qualquer e você me pedia para escrever a apresentação do seu mais novo livro de poesias, apesar de não ter certeza de qual apresentação publicaria: uma que dissesse de sua poesia ou outra que descrevesse seu cotidiano.


Vamos ver!

beijos

9:13 AM  
Blogger Jefferson de Souza disse:

Caríssimo Octavius Roggierus III... Às vezes, sinto que meus botoes detêm a sabedoria que eu ñ possuo...

9:25 PM  

Postar um comentário

<< Home